domingo, 24 de junho de 2012

Season Seven - Mesa redonda Parte 3 Sam Winchester


 Mas uma vez digo que foi feita pelo Tvovermind e traduzida pelo Supernatual is life!!A trama/enredo de Sam.

Sam tem estado muito ocupado nestas últimas duas temporadas. Voltando do inferno sem sua alma tendo a “barreira” em sua cabeça quebrada, Sam na realidade tem sido mais a base do arco histórico do show do que Dean ultimamente. Não que isso seja um problema, veja bem, porque eu gosto dos dois personagens e quero que ambos tenham um arco histórico. A trama da história de Sam durante a sétima temporada foi provavelmente o único ponto em que houve algum desentendimento entre os participantes dessa mesa redonda.

Primeiramente, todos nós concordamos sobre a interpretação de Jared Padalecki de um Sam “quebrado”. Para mim, particularmente, o episódio 7.17  -“The Born-again identity”, deu a Jared uma oportunidade de ouro para brilhar, e ele brilhou em todos os sentidos. Vinnie disse que “A quebra do estado mental de Sam nos deu o que foi um dos meus momentos favoritos na história de Supernatural. A imagens das pessoas na biblioteca batendo suas cabeças contra as mesas em “Repo Man” foi espetacularmente perturbadora.” E juntando a história de Sam com o reaparecimento de Lúcifer permitiu que a atuação Mark Pellegrino brilhasse, que os dois atores juntos soltassem faíscas.




Tina ficou feliz que “a história de Sam foi clara. Castiel quebrou a parede em sua mente. Sam tinha que lidar com esses delírios que incluíam ver Lucifer 24/7. Embora nós não pudéssemos vê-lo sempre, nos sabíamos que ele estava lá. Ele estava enlouquecendo e nós não sabíamos como isso iria ser resolvido. Mas foi, graças a Castiel. Houve um começo, meio e fim a essa história e foi ótimo.”  Aqui é que algumas pessoas tiveram problemas, como Tina explica:”Meu problema foi a continuação da trama que começou no começo da última temporada. Eu acho que foi tão longa  e nós não conseguimos ver os efeitos da queda da parede na cabeça de Sam como gostaríamos". Alice acredita que  as alucinações de Sam foram mostradas de maneira espetacular em “Hello, cruel world”, mas que a falta de efeitos colaterais perceptíveis depois disso foi muito decepcionante.

Laura assinalou que “nós sabemos, pelo que o Jared e os produtores falaram, que Sam estava lutando com as alucinações do inferno durante o ano todo, e que Jared estava tentando sutilmente adicionar estes maneirismos mesmo em episódios não focados na “parede caída/quebrada”, mas a realidade é que na edição isso raramente foi mostrado para o público, o que apareceu foi que houve grandes períodos de tempo no qual basicamente funcionava com um ser humano comum e saudável. Infelizmente isso debilitou a severidade de sua situação.”

É claro que entendemos o ponto crucial do problema: Sam não poderia ficar louco na maior parte da temporada. A verdade é que Castiel, como um personagem auxiliar, pôde agir meio transloucado. É engraçado e faz sentido. Mas Sam não poderia passar 17 episódios de Supernatural ou como um hippie louco tipo Castiel, ou em uma situação pior, em estado vegetativo, como Laura disse. Quebrar a parede na cabeça de Sam foi um passo gigantesco, e a maioria de nós desejamos que um meio termo entre o Sam funcionando normalmente e o Sam completamente louco por uma temporada inteira pudesse ter sido achado/mostrado.

O que a maioria de nos concorda foi com a resolução da trama. Alguns de nós, como Danielle e Alice, acharam que a solução foi um pouquinho fácil demais. “Pareceu muito fácil, o Castiel magicamente consertá-lo (curá-lo) – especialmente porque no final, Castiel foi consertado também,” Danielle explicou. O restante de nós acredita que a resolução foi apropriada, dadas as difíceis circunstancias. “No que se refere a sua recuperação, eu nunca tive um problema de como isso foi feito. Honestamente não havia outra maneira para encerrá-lo. Eu acho que a deterioração dele e sua recuperação foram bem feitas. Bem feitas de uma maneira realística? É claro que não, mas eu não esperava  que eles fizessem isso (de uma maneira realística).” Vinnie disse.

 

Na minha crítica do episódio 7.17, eu também concordei que a resolução foi a melhor possível dadas as circunstancias. Sam foi “curado” de ter um esgotamento nervoso (o que não poderia realmente acontecer com um dos dois principais personagens de Supernatural) e isso também fez com que Castiel tivesse a oportunidade de assumir um pouco da responsabilidade de ter “quebrado” a parede, mesmo que isso não necessariamente representasse a mesma coisa para ele como foi para Sam (embora, dado o status angelical, isso é esperado). Mas o que pareceu um pouco esquisito foi que “o conserto” tenha curado Sam completamente. “Castiel tirou as alucinações de Sam, e eu acho que ele ainda deveria estar sofrendo  de algum tipo de estresse pós-traumático após ter passado um tempo no inferno,” Laura disse, e Daniele comentou “Lúcifer pode não estar esgueirando-se em sua cabeça, mas e quanto ao estresse pós-traumático? Ele voltou ao normal tão rapidamente!”

Teria sido interessante de ver Sam sentir um pouco dos efeitos colaterais da sua estada no inferno, principalmente porque sabemos o quão bem o  Jared pode retratar um Sam desencorajado e nas últimas. Em alguns aspectos eu acho que Sam tem menos oportunidades de se mostrar “quebrado” do que Dean. A dor de Sam normalmente se manifesta em ira/cólera, ao passo que a dor de Dean geralmente se manifesta em desespero. Isso pode ser atribuído as caractericticas gerais dos próprios personagens, mas, Laura mencionou que, “ Eu sei eles são machões e durões que já passaram por um montão de problemas e experiências terríveis, mas o inferno é o inferno, e você não pode simplesmente ignora-lo, nem mesmo sendo um Winchester.”

CONTINUA....

Nenhum comentário:

Postar um comentário

deixe sua sugestão,critica ou o que quiser dizer à SUPERNATURAL LAND.