quinta-feira, 14 de junho de 2012

Season Seven - MESA REDONDA

Essa mesa redonda é uma analise feita por (fãs desocupados) criticos de Superanatural sobre a 7°temporada; foi publicada pelo site TVOVERMIND e traduzido pelo SUPERNATURALISLIFE se quiser ler o original em inglês este é o link(www.tvovermind.com/)










Essa é a PARTE 1, postarei o restante quando disponivel!!

MESA REDONDA – SUPERNATURAL SÉTIMA TEMPORADA – UMA OLHADA PARA TRAS E UMA OLHADA À FRENTE.

O que vocês acharam do gancho de Supernatural? Com Dean  preso no purgatório, e Sam completamente sozinho aqui na terra, e os fãs desesperados com os quatro meses até o início da oitava temporada, nós temos bastante tempo para digerir o que aconteceu nesta temporada e olhar a frente para a próxima.
Dezembro último, eu conversei com alguns amigos que escrevem sobre Supernatural para partilharmos as nossas impressões sobre a metade da temporada. Foi tão interessante que nós nos juntamos novamente para dividir as nossas impressões sobre a temporada toda. Participando nesta mesa redonda estão – eu (Clarissa), Laura Prudom do HuffPostTV, Vinnie de Winchester Brothers, Danielle Turchiano de Possible By Pop Culture, Alice Jester de Wichester Family Business, Tina Charles de TVGuide e Nikki Novak de Winchester Daily.  O que me pareceu muito interessante, foi que ao ler os comentários deles, nós concordamos em  vários assuntos que escolhemos discutir nesta análise. Muitas de nossas críticas e elogios são os mesmos, que são do mesmo tipo dos comentários que tenho lido on-line dos fãs. Esta revisão é longa, mas há muita coisa para falar sobre esta temporada que acabou.
  Os Levithãns como os vilões.
A maioria de nós concordamos que Dick Roman era um excelente líder para os Leviatãs. Sempre adulador e divertido, Dick foi bom vilão (como líder). “Dick foi o meu tipo de vilão favorito: arrojado, charmoso, diabolicamente calmo e assustador quando nervoso,” nos diz Vinnie. Eu particularmente gostei da interação de Dick e Crowley no final da temporada. Colocar esse dois arrojados e carismáticos atores juntos foi uma ideia ótima.  Eles fizeram com que negociações ficassem mais divertidas. Mas o nosso amor por Dick não fez com que nós nos apaixonássemos pelos Leviatãs como os grandes vilões.
Mas temos que ser honestos, seria difícil ultrapassar Lúcifer – o próprio Diabo – como vilão. “Havia uma expectativa na criação do arco mitológicos dos Leviatãs, porque depois de vencer Lúcifer, quem poderia superá-lo ou ser pior do que ele?, pelo menos para mim. Os Leviatãs tinham que ser maiores, piores, mais sombrios e mais malignos – e especialmente mais astutos -  para serem vilões acreditáveis, e os grandes vilões da temporada,”disse Danielle. Em muitos aspectos, nós concordamos que a ideia dos Leviatãs era boa, mas em outros, concordamos que não foi bem desenvolvida. Nikki explicou “haviam tantos ângulos diferentes que poderiam ter dado certo com  estes monstros, mas no fim eu senti que o “grande plano” era meio furado. Eles foram apresentados como sendo muito assustadores, mas não assustaram. Em “Slash Fiction” quando Sam e Dean foram clonados foi o mais assustador que eles se tornaram durante toda a temporada. Eu queria acreditar na estória do arco mitológico dos Leviatãs, mas não consegui.”
Em vários aspectos é difícil em duplicar a sede de vingança que Sam, Dean e John tinham em matar Azazel, porque havia uma história de 20 anos entre eles. Por causa disso ele foi quase o tipo de vilão “perfeito”, sempre pairando na sombras, nos pensamentos dos fãs e dos protagonistas. Mas os Leviatãs pareciam um tipo de “reparo ou ideia adicional” – algo que era mencionado aqui e ali apenas para nos lembrar que eles ainda estavam lá.
Individualmente, muitos dos Leviatãs que nos conhecemos eram divertidos, mas eu concordo que o plano mestre não era assim tão aterrorizante. Eu me senti assim como, “oh, então é isso?” do que, “putz, isso é bem assustador!” Os Levis foram os vilões mais diferentes que nós já encontramos e seu plano mestre – e a maneira como eles usaram para alcançá-lo – entrando num lado mais de como nossa sociedade é hoje. O que não é necessariamente uma coisa ruim, mas há uma razão para a qual vilões mais religiosos ou semi-religiosos – com objetivos correspondentes – foram bem mais efetivos no show. Demônios,  anjos vingativos e o diabos são aterrorizantes porque eles estão na nossa historia desde a nossa infância.  Nós tememos a maioria destes vilões, ou pelo menos a ideia deles.
Criar um novo tipo de monstro do nada é um objetivo nobre, mas se não é o tipo de monstro com o qual nós podemos nos relacionar (ter uma empatia), eles não funcionam. Misturar um monstro histórico (por exemplo, os Levis que são teoricamente muito antigos) com o objetivo de escravizar os humanos parece mais um tema de ficção científica (uma concepção futurística) e não é aterrorizante para mim. Como Danielle explicou, “os planos deles para nós fracos humanos eram bem terríveis, mas o que estava em jogo nunca pareceu tão terrível quanto o iminente apocalipse.”
Talvez, o nosso maior problema com os Levis não seja o plano deles, mas o fato de não haver nenhuma conexão  pessoal com os nossos heróis. Pense em todos os grandes vilões que Sam e Dean enfrentaram todos esses anos. Estes vilões tinham algum vínculo pessoal com os Winchesters. Azazel matou a mãe deles e Jessica. Lilith tinha o contrato de Dean na mão, e foi fundamental para mandá-lo ao inferno. A libertação de Lúcifer foi possível porque Sam e Dean quebraram o primeiro e último selo. Mais tarde, mesmo quando impediram o apocalipse, ficou muito pessoal porque os dois eram os receptáculos de Michael e Lúcifer. É aí que os Levaitãs – e mesmo Eve na sexta temporada – eram vazios (não temíveis).
No começo esses monstros estavam dentro de Castiel, o que era muito pessoal. Mas depois que eles saíram, não havia mais a conexão. Depois os escritores tentaram colocar um vínculo pessoal, quando Dick foi responsável pela morte de Bobby. Isso funcionou, por um tempo. O afrontamento  de Dean e Dick na limousine no lado de fora do hospital onde Bobby estava de coma, foi o mais raivoso que eu vi Dean em um longo período de tempo. Mas mesmo assim, o tempo foi passando e começou a ficar menos pessoal. O objetivo de Dean em derrotar Dick sempre foi muito claro (pelo fato dele estar sempre “o caçando”), mas mesmo assim parecia algo que ele tinha que fazer. Isso também nos traz a apatia de Dean durante esta temporada, mas nós vamos falar sobre isso mais tarde. Mas foi a falta de conexão pessoal ou histórica com os Winchesters que me fez ficar mais ambivalente com relação aos Leviathãns como vilões.
Laura fez uma sugestão que poderia não cair bem com os fãs, mas que pareceria um conceito bem mais interessante. “Isso poderia ter quebrado o meu coração, mas eu quase desejei que eles tivessem deixado os Leviatãs dentro de Castiel, e fazer dele o grande vilão desta temporada, assim isso  seria algo mais pessoal, e ainda teriam que salvá-lo.  Eu não acredito que o arco mitológico iria durar a temporada toda (como aconteceu quando Azazel possuiu John), mas faria muito mais sentido com Castiel desaparecendo por alguns episódios e retornando como o grande chefe Leviatã, isso se os escritores quisessem um grande impacto emocional.” É uma sugestão polarizante, que faz bastante sentido e que faria com que tivéssemos mais conexão entre os vilões e os nossos heróis. Mas isso nos privaria de Dick Roman, então talvez não tivesse sido uma escolha ideal, mas nos provocaria mais emocionalmente.
CONTINUA... 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

deixe sua sugestão,critica ou o que quiser dizer à SUPERNATURAL LAND.